Isaque Criscuolo
Isaque Criscuolo
@isaque.criscuolo
Fotografia

A arte do improviso e do caos nos retratos icônicos de Jorge Bispo

  • por Isaque Criscuolo @isaque.criscuolo

Conheça o processo criativo do fotógrafo brasileiro e inspire-se para criar seu próprio estilo autoral na fotografia

Como em um jogo cênico, a arte do retrato possibilita encontros, troca de experiências, improvisos e soluções que potencializam a imagem. Este é o trabalho do fotógrafo Jorge Bispo (@jorgebispo), responsável por um olhar que já registrou grandes personalidades nacionais e internacionais, como Spike Lee, Ricardo Darín, David Lynch, Roberto Carlos e muitos outros.

Natural do Rio de Janeiro, Bispo é especialista em criar retratos icônicos eternizando encontros com a câmera. Nascido numa família de atores e diretores de teatro, seu interesse pela fotografia começou neste contexto, enquanto registrava as produções da família.

"Nasci numa família de teatro, então eu tinha um pai diretor, uma tia diretora, irmãos, primos, atores. A gente tinha uma companhia familiar. Teatro é algo muito importante, foi algo muito importante na minha vida. E hoje, como espectador, é algo que gosto muito. É algo que cresci estudando", diz o fotógrafo.

Bispo colabora com retratos, ensaios e fotografia de moda para grandes publicações editoriais
Bispo colabora com retratos, ensaios e fotografia de moda para grandes publicações editoriais

Jorge, formou-se em artes plásticas pela Universidade Federal do Rio de Janeiro e trabalhou em alguns dos principais veículos de imprensa do Brasil, como o Jornal do Brasil e a Editora Abril.

Hoje, colabora com retratos, ensaios e fotografia de moda para grandes publicações, como Playboy, Trip, TPM, Vip, Alfa, Claudia, Mymag, V, entre outras. Já dirigiu clipes e DVDs dos músicos Pedro Luis, João Bosco, Silva, Nando Reis e Karina Buhr. Também realizou diversas exposições individuais e coletivas e publicou o livro Apartamento 302, que virou série para televisão no Canal Brasil.

Em conversa com a Domestika, o fotógrafo fala do seu "processo criativo caótico", as diferenças entre fotografia autoral e publicitária e a importância da conexão com os retratados através de bagagem cultural.

"Minha maneira de conectar é sendo o mais natural possível", diz Jorge Bispo
"Minha maneira de conectar é sendo o mais natural possível", diz Jorge Bispo

O caos como ferramenta criativa

Para Jorge Bispo, a palavra que melhor define o seu processo criativo é "improviso". O caos é sua principal ferramenta, pois não se considera organizado.

Isso não significa que não tenha um método lógico para criar sua arte, mas que não é o tipo de criativo que planeja tudo em detalhes.

"É claro que me preparo, faço uma pesquisa sobre o retratado, mas sou muito levado pelo momento. Chego no set de fotografia e às vezes até tenho uma ideia do que quero fazer, mas aí entra uma luz maluca na janela e mudo", diz.

Retrato de Maria Bethânia, por Jorge Bispo
Retrato de Maria Bethânia, por Jorge Bispo

Por conta de seu tempo de carreira, e extenso currículo, conta que é bastante raro trabalhar com alguém que nunca fotografou antes. Especialmente na área cultural.

O segredo de suas fotografias é a conexão com o retratado, não importando se é um astro de Hollywood, como Spike Lee, ou alguém menos conhecido.

Bispo explica: "Eu realmente não dou tanta importância. Minha maneira de conectar é sendo o mais natural possível. Faço isso justamente não dando uma importância maior do que deveria (nem menor). Sou bastante tímido e reservado, então procuro agir como sou, naturalmente".

Retrato de Spike Lee, por Jorge Bispo
Retrato de Spike Lee, por Jorge Bispo

As diferenças entre fotografia autoral e fotografia publicitária

A respeito da fotografia, Jorge conta que é a única coisa que saber fazer e não se vê fora dela. Sua relação com a área ultrapassa as barreiras da imagem para dialogar com a curiosidade e o prazer por conhecer e retratar gente.

Além dos retratos, seu lado mais autoral, Jorge é bastante reconhecido por seu trabalho editorial para revistas e outras publicações, assim como para publicidade. Para ele, as diferenças entre esses tipos de fotografia estavam mais presentes no início de sua carreira, pois com a experiência e consolidação de seu trabalho, o mercado passou a buscá-lo justamente por seu olhar autoral.

"Hoje já consigo usar o que considero minha maneira mais pessoal de olhar o retrato. Fotografia que eu quero fazer, sabe? Na publicidade, a fotografia precisa seguir algumas regras como um layout para agradar o cliente. No trabalho editorial e na indústria fonográfica, consigo me aproximar muito mais do que acredito, da minha verdade", realça.

Retrato de Fernanda Torres, por Jorge Bispo
Retrato de Fernanda Torres, por Jorge Bispo

A importância da bagagem cultural para um fotógrafo

Para tirar uma boa fotografia, Jorge Bispo defende que não é a parte técnica que importa. É a bagagem cultural. Ela permite que você desenvolva a sensibilidade necessária para entender o outro, para entender as relações humanas e personalidades diferentes.

"Se você é uma pessoa que tem bagagem cultural, está mais apto a falar da maior parte dos assuntos. Por isso digo que as pessoas, os jovens, todos, devem investir muito em bagagem cultural, independentemente se isso vai ser aplicado diretamente numa foto ou não", considera Bispo.

Retrato de Nélida Piñon, por Jorge Bispo
Retrato de Nélida Piñon, por Jorge Bispo

E acrescenta: "Para um retratista, a bagagem é mais importante do que um vasto entendimento de luz. Não vai adiantar você ter um equipamento incrível e uma técnica incrível se essa conexão não for estabelecida. Não há técnica que faça um retrato, por mais bem iluminado que seja".

No momento, o fotógrafo conta que está bastante absorvido pela cultura pop com séries de tv e podcasts, pois acredita que "referências diversas são importantes para gerar novas ideias".

Sejam elas uma fotografia ou iluminação, um pensamento ou diálogo de personagens, Jorge acredita que "é preciso manter aberta a gaveta de referências para buscar ideias sempre que necessário".

Retrato de Roberto Carlos, por Jorge Bispo
Retrato de Roberto Carlos, por Jorge Bispo

A fotografia em tempos de redes sociais

Sobre redes sociais e popularização do acesso à fotografia, Jorge Bispo acredita que a internet popularizou todas as formas de expressão para que as pessoas mostrem seus trabalhos.

"Antes você tinha que ver as coisas em um livro ou revista, mas hoje está mais fácil. A internet e as redes sociais participam de um processo de banalização da fotografia, mas prefiro correr o risco da banalização, da popularização, do que ficar fechado", considera.

E sublinha: "Sou a favor de que todos sejamos fotógrafos de selfie. Afinal, antigamente registrávamos aniversários, viagens e momentos especiais com câmeras analógicas. Hoje só está mais fácil fazer isso. Você nunca vai me ver defendendo coisas que são castradoras nesse sentido".

Retrato de Maria Flor, por Jorge Bispo
Retrato de Maria Flor, por Jorge Bispo

Equipamento essencial e dica para iniciantes

No dia a dia, o fotógrafo conta que 100% do seu trabalho é feito com uma câmera Canon 5D Mark e três lentes fixas de 35mm, 50mm e 85mm.

Além disso, uma fonte de luz simples. No computador, usa o Adobe Lightroom para editar. Em viagens pessoais, usa o iPhone para registrar as memórias.

Para quem está começando no mundo da fotografia, seu principal conselho é não ter medo de errar. "Experimente! Pode ser com aquela câmera velha da sua vó ou com o celular. Um fotógrafo experimenta para desenvolver uma busca pelo que é mais importante: o próprio jeito de ver as coisas", diz.

Retrato de Camila Pitanga, por Jorge Bispo
Retrato de Camila Pitanga, por Jorge Bispo

E o fotógrafo brasileiro conclui: "Corra riscos, comece já e não se prenda à técnica para não ficar engessado".

Gostou de conhecer o processo criativo deste profissional? Confira o curso online de Jorge Bispo, Retrato fotográfico do início ao fim. Nele você aprenderá a retratar pessoas de maneira profissional e criar um ensaio trabalhando técnicas de composição, direção e ambientação.

Não deixe ainda de dar uma olhada nos cursos online de Fotografia de retrato da Domestika. E, para explorar mais conteúdos originais, consulte a seção Fotografia do nosso blog.

Você também pode se interessar por:

- Equipamento fotográfico essencial para fotografia noturna
- Tutorial Fotografia: tipos de lentes para iniciantes
- Como a fotografia lutou para ser considerada uma arte
- Adobe Photoshop para edição de fotos profissional, um curso de Nina Bruno
- Retrato fotográfico com luz natural: crie atmosferas originais, um curso de Danny Bittencourt

Ver cursos recomendados

Criação e edição de conteúdo para Instagram Stories. Curso de Marketing, Negócios, Fotografia, e Vídeo por Mina Barrio

Criação e edição de conteúdo para Instagram Stories

Um curso de Mina Barrio

Descubra os segredos da fotografia e do vídeo para ter sucesso no Instagram

  • 234985
  • 98% (6.1K)
83% Desc.
Preço original $39.99USD
Introdução ao Adobe Photoshop. Curso de Design, Fotografia, e Vídeo por Carles Marsal
Domestika Basics · 5 cursos

Introdução ao Adobe Photoshop

Um curso de Carles Marsal

Aprenda o Adobe Photoshop do zero e domine o melhor software de tratamento, retoque e criação de imagens digitais do mercado

  • 357159
  • 100% (9.9K)
75% Desc.
Preço original $39.99USD
Fotografia profissional para Instagram. Curso de Fotografia, Vídeo, Marketing, e Negócios por Mina Barrio

Fotografia profissional para Instagram

Um curso de Mina Barrio

Aprenda todos os truques para fazer e editar fotografias para redes sociais com o seu celular

  • 257387
  • 99% (11K)
83% Desc.
Preço original $39.99USD
0 comentários

Receba em seu e-mail as novidades da Domestika