Ilustração

Challenge Desenho de Criança: ilustrando memórias da infância

Como seria se um profissional da ilustração recriasse um desenho de infância? E um desenho de sua própria filha?

O Dia das Crianças não é uma data especial somente para os mais pequenos: está na memória de milhares de adultos por seu poder nostálgico e emocional. No Brasil, celebra- se a data no dia 12 de outubro desde o decreto de lei nº 4.867, publicado no dia 5 de novembro de 1924. Uma iniciativa do então deputado federal, Galdino do Valle Filho.

Embora seja uma lei de 1924, o Dia das Crianças como os brasileiros conhecem hoje só começou a tomar forma em 1955, quando a marca de brinquedos Estrela criou uma estratégia de marketing para fortalecer a data. O sucesso atraiu a atenção do restante da indústria, que, desde então, disputa a atenção das crianças – e o bolso dos pais – com ações, ofertas e novos lançamentos de brinquedos.

Mas, como nem só de comércio vive o Dia das Crianças no Brasil, convidamos duas ilustradoras e um ilustrador - os três professores da Domestika - para revisitar suas memórias afetivas. Brenda Bossato (@brendabossato) e Fabi, da dupla Marmota Vs Milky (@marmotavsmilky) recriam desenhos que fizeram quando eram meninas. Já Weberson Santiago (@webersonsantiago) reinterpreta um desenho feito pela filha mais nova dele, Mariana.

Confira no vídeo a seguir!

Dicas de profissionais para crianças criativas

Além da recriação das ilustrações, desafiamos os artistas a voltar ao passado e dar um conselho a si mesmos, quando crianças, à luz do que sabem hoje sobre a carreira e a criação artística.

Fabi não duvida na hora de dar uma dica essencial: “Não desista! Você vai crescer, vai se desenvolver… não se preocupe. Vai dar tudo certo, e você só tem que continuar e acreditar que vai conseguir fazer”.

"A gente ouve muito que trabalhar com arte é difícil, para poucos, que é necessário ter contatos para conseguir ‘chegar lá’. Sempre ouve que trabalhar com desenho não dá dinheiro, que é melhor fazer engenharia ou informática… Cresci ouvindo essas coisas. Sempre achei que não era algo para mim por ser tímida, tanto é que na adolescência me dediquei à informática, parei de desenhar e deixei de fazer o que eu queria. Quando fui procurar emprego nessa área, me perguntaram numa entrevista o que eu esperava do meu futuro, e eu, no nervosismo, disse que queria desenhar. Uma resposta muito sincera e direta. Foi então que decidi mudar de área e fazer algo relacionado à arte." - Fabi (Marmota Vs Milky)
Challenge Desenho de Criança: ilustrando memórias da infância 4
Arte de Marmota Vs Milky

Para a ilustradora Brenda Bossato, a mensagem é também de esperança: "Só vá em frente, você vai chegar num lugar muito incrível e vai levar pessoas muito incríveis com você também".

"Se eu fosse uma mosquinha para chegar no meu ouvido e dizer algo, seria algo como: olhe, acredite em você! Não desista, eu sei que é difícil mas só continue, tente não olhar muito para os lados. Se for olhar para os lados, tente olhar com sabedoria.” - Brenda Bossato
Challenge Desenho de Criança: ilustrando memórias da infância 6
Arte de Brenda Bossato

O ilustrador Weberson Santiago, por sua vez, acredita que o tempo é o melhor conselheiro: "Eu diria para continuar desenhando e não se importar tanto com o resultado, porque o resultado é consequência do simples ato de se fazer as coisas".

"Com o tempo, ele acaba se encontrando com o que você deseja e o que consegue fazer. É só uma questão de sintonia. O ato de desenhar ensina a uma criança a se conectar com ela mesma. Você cria uma conexão entre a sua vontade e os seus sonhos e aprende a controlar um pouco essa nossa ansiedade de querer fazer as coisas. Elas acontecem de uma maneira que, às vezes, a gente não espera". - Weberson Santiago
Challenge Desenho de Criança: ilustrando memórias da infância 8
Arte de Weberson Santiago
0 comentários

Entre ou crie sua conta para comentar

Receba em seu e-mail as novidades da Domestika