Ilustração

Até sempre Quino! Recordamos o mestre das Histórias em Quadrinhos

Despedimo-nos de Quino, criador da Mafalda e referência incontornável do humor gráfico.

Joaquín Salvador Lavado Tejón, Quino, foi, sem sombra de dúvida, o cartunista de vinhetas mais influente da Argentina e, provavelmente, da América Latina. Nascido de pais espanhóis, descobriu em tenra idade que a sua própria vida estava emoldurada pelo contexto político e começou a expressar-se através dos seus desenhos.
Para tentar desfazer o imbróglio, o pequeno Quino se coloca a desenhar, em silêncio.


Ao falar, uma pessoa arrisca-se a dizer coisas erradas sobre o bem e o mal.
Quino, uma autobiografia
Até sempre Quino! Recordamos o mestre das Histórias em Quadrinhos 1
Quino. Foto: Ministério da Cultura da Nação

Em 1945 começou os estudos formais na Escola de Belas Artes de Mendoza, mas, cansado de trabalhar com materiais que lhe eram pouco atraentes, decidiu-se pelo único caminho que via possível: os Quadrinhos e o humor.

Em 1963 lançou o seu primeiro livro como desenhador humorístico, Mundo Quino, uma compilação de humor gráfico.

No dia que publiquei a minha primeira página tive o momento mais feliz da minha vida.
Quino
Até sempre Quino! Recordamos o mestre das Histórias em Quadrinhos 3
Mundo Quino, Quino.

E, um ano mais tarde, em 1964, surgiu o seu personagem mais importante, que fazia eco das suas próprias preocupações sobre o bem e o mal no Mundo, Mafalda. Primeiro no semanário Primera Plana de Buenos Aires e, posteriormente, no jornal El Mundo, no qual Quino publicou até seis tiras por semana.

Devido ao enorme êxito internacional, o seu primeiro livro Mafalda a Contestatária, foi lançado em 1969 sob a direção editorial de Umberto Eco.

Até sempre Quino! Recordamos o mestre das Histórias em Quadrinhos 5
Mafalda a Contestatária, Quino
Até sempre Quino! Recordamos o mestre das Histórias em Quadrinhos 6
Estátua de Mafalda em San Telmo, Buenos Aires. Foto: Beatrice Murch

Em 1973, Quino decide deixar de publicar Mafalda e regressa às páginas de humor não sequenciais. Nos anos oitenta, deu início à colaboração com o realizador de cinema Juan Padrón, com quem trabalhou na série animada Quinoscopios.

Nos noventa, também com Juan Padrón, estreou uma série televisiva de Mafalda, com 104 capítulos animados de um minuto.

A sua carreira continuou plena de reconhecimento internacional, prêmios, exposições e distinções acadêmicas. Desde uma praça pública em Buenos Aires, em homenagem aos personagens de Mafalda, aos selos postais para honrar a sua obra, até à edição dos seus livros em línguas indígenas e, inclusivamente, no sistema Braille, a mensagem humorística de Quino não conhece fronteiras.

A influência de Quino na Banda Desenhada e no humor gráfico mundial é incomensurável. A comunidade criativa despediu-se de Quino a 30 de Setembro de 2020, que faleceu em Mendoza, Argentina, aos 88 anos.

Até sempre Quino! Recordamos o mestre das Histórias em Quadrinhos 14
Assinatura de Quino
0 comentários

Entre ou crie sua conta para comentar

Receba em seu e-mail as novidades da Domestika